-A A +A
Núcleo de Estudos em Processo e Tratamento de Conflitos

Relatos do Curso de Desenvolvimento Profissional em Mediação Empresarial

No último final de semana foi realizado o Curso de Desenvolvimento Profissional em Mediação Empresarial, ministrado pela Profª. Dulce Nascimento e organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Direito da UFES (PPGDIR) e pelo Núcleo de Estudos em Processo e Tratamento de Conflitos (Neapi).

Após uma coordenação de esforços da Profa. Adriana Campos, das Mestras Bárbara Seccato Ruis Chagas e Luiza Nogueira Barbosa, da estudante de direito Carolina Stange Azevedo Moulin e de Fernando Nascimento, o projeto saiu do papel e alcançou vários interessados.

A experiência foi riquíssima e o NEAPI muito se orgulha de trazer eventos tão importantes como este para o Estado. O curso, que contou com uma parte teórica e outra prática, só recebeu elogios. Vamos ler um pouquinho os relatos de quem participou?

Carolina Stange Azevedo Moulin – Graduanda em Direito, campeã da Competição de Mediação da CAMARB e 7º lugar na Competição Internacional de Mediação da Câmara de Comércio Internacional – CCI.

“Foram 12 horas de treinamento que passaram como num piscar de olhos e superaram em divertimento e utilidade qualquer outra atividade – incluindo séries da Netflix e Pato Quack – que se pudesse pensar em fazer naquela sexta e sábado chuvosos. Narrar essa experiência que vivi é falar sobre dois pontos: mediação e a Profª. Dulce Nascimento.

Mais que um método autocompositivo de resolução de disputas envolvendo relações interpessoais contínuas, a mediação é um passo rumo ao progresso civilizatório na evolução humana. Há quem julgue exagerada minha afirmação, mas cada contato que tenho com mediação certifica-me mais de sua veracidade. Uma vez ouvi da Profª. Adriana Campos que o homem evoluiu ao trocar espadas por palavras, campos de batalha por cortes judiciais. A meu ver, salto semelhante é dado quando se substitui o litígio pelo consenso, a posição pelo interesse, a heteronomia pela autonomia, a competição pela colaboração, o mutismo pela comunicação. E a mediação proporciona esse giro copérnico linguístico e comportamental no tratamento de conflitos, sejam eles empresariais, familiares, de vizinhança ou comerciais. Saí do curso com o ardente desejo de aprofundar ainda mais meus conhecimentos teóricos e práticos, a fim de tomar parte nessa fase de transformação do tratamento de conflitos pela qual passa o Brasil, e ingressar no mercado de trabalho como uma profissional qualificada em mediação empresarial.

É difícil traduzir em palavras tudo o que aprendi com a Profa. Dulce nesses últimos dias. Não apenas na sala de aula, mas sobretudo nas conversas extraclasse, onde pude constatar: aí está alguém que vive o que prega, que transforma ideias em ações. Foi um privilégio conhecê-la e vê-la em ação. Mulher destemida, inteligente e criativa, domina perfeitamente as técnicas de mediação e as transmite de forma dinâmica e interativa aos alunos. Pode-se atribuir ao curso um caráter metalinguístico: ao tratar sobre mediação em um ambiente franco, participativo e aberto ao diálogo a 30 pessoas de diferentes mentalidades, opiniões, convicções e histórias de vida, foi incrível presenciar inevitáveis conflitos comunicacionais sendo mediados em tempo real pela professora, com maestria e elegância. Obrigada por expandir meus horizontes e me guiar no caminho do tratamento adequado de conflitos por meio da mediação, Profª. Dulce. Ainda estou no início de minha trajetória e tenho muito a aprender, mas fico feliz quando olho para trás e vejo tudo o que já alcancei, e sinto-me confiante ao mirar o futuro e ver inúmeras e empolgantes oportunidades que me esperam.

A proposta do método é tratar de forma adequada e eficiente determinados tipos de conflitos, dando às pessoas dignidade, emancipação e humanidade no gerenciamento de suas relações interpessoais. E isso não é algo pequeno. É uma revolução na forma como lidamos com o Outro, com o não Eu, com o diferente. Concluí o curso com a certeza de que uma Justiça multiportas é o futuro da resolução de controvérsias no Brasil, e já aguardo novas oportunidades para me aprofundar ainda mais nas técnicas de mediação empresarial. Ei, PPGDIR e Neapi, quando é que a Dulce volta para dar o próximo curso? :)"

 

Erlandeson Capucho de Souza – Administrador de Recursos Humanos, sócio de empresa que presta serviços de consultoria de microcrédito para o governo do Estado do Espírito Santos através do Bandes.

“Gostaria de parabenizar toda a equipe responsável por trazer este curso de negociação empresarial e relatar o quanto foi e é importante a qualificação na área de mediação. Constantemente passamos por situações de conflito e negociação. Entendo que todos temos algumas habilidades, porém, com este curso pude conhecer técnicas que facilitam em muito uma boa solução de conflito, bem como identificar quais técnicas preciso aperfeiçoar e outras que preciso desenvolver. O curso deixa clara a importância da mediação. Mediação, para mim, é o caminho mais seguro para resolução de conflitos, pois as mesmas são dadas pelas partes e, com isso, a solução torna-se mais aceitável, o que dificulta a quebra de seus acordos.”

–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

O Neapi encerra mais um evento com a certeza de que disseminar a cultura da mediação vale muito à pena e com muito entusiasmo de ver que o estudo dos métodos adequados de tratamento de conflitos vem ganhando mais e mais adeptos. Fiquem de olho nos próximos eventos! (:

 

por Luiza Nogueira Barbosa.

Tags: 
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910